Carro da Águia de Ouro representa o bombardeio de Hiroshima — Foto: Ardilhes Moreira/G1

Águia de Ouro é a grande campeã do carnaval 2020 de São Paulo. Este é o primeiro título da escola no Grupo Especial do carnaval paulista. Foi a primeira vez em 43 anos que a agremiação levou o título de campeã do carnaval de SP.

A escola levou o troféu com enredo sobre a evolução do conhecimento humano, da Idade da Pedra à esperança nos robôs e, em um carro sobre a educação, fez uma homenagem a Paulo Freire. No carro, havia um boneco de Paulo Freire com um livro e a seguinte frase, de autoria do educador: “Não se pode falar da educação sem amor”.

Já as escolas Vai-Vai e Acadêmicos do Tucuruvi ficaram, respectivamente, em primeiro e segundo lugar do Grupo de Acesso e sobem para o Grupo Especial em 2021. A Nenê de Vila Matilde foi rebaixada para o Grupo Acesso II.

No Anhembi, a escola contou com um carro alegórico que provocou polêmica, representando as bombas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki, no Japão, durante a Segunda Guerra Mundial.

Em nota da escola, antes da apuração, a escola disse que a intenção foi uma “manifestação respeitosa” que “não pode ser confundida com qualquer tipo de insulto, difamação e principalmente desonrar uma triste lembrança do sofrimento de um povo irmão”.

A presença do carro no desfile de sábado (22) causou polêmica nas redes sociais. Representantes da comunidade japonesa disseram que o carro suscitava lembranças ruins e tristes.

Armando Guerra Júnior, o mestre Juca, que comanda a bateria da escola de samba, ficou tão emocionado com a vitória que disse que ia beijar a boca dos integrantes da agremiação.

A Rosas de Ouro e a Dragões da Real empataram na nota final. De acordo com a Liga das Escolas de Samba, o primeiro critério de desempate é a soma de todas as notas, inclusive as descartadas, exceto fantasia, como já havia sido acordado por causa da Pérola Negra, que perdeu 40% das fantasias com a fortes chuvas que invadiram o barracão a dez dias do desfile.

Dessa forma, o primeiro critério de desempate é sempre a somatória de todas as notas. Se o empate continuar, parte-se para o último quesito lido, que no caso foi bateria.

De acordo com o mestre Juca, que representa o presidente da escola, o diferencial que levou a escola à vitória foi a união da agremiação. “A união da comunidade. A gente veio do grupo de acesso em 2019, ficamos em sexto lugar no Grupo Especial e provamos que a gente era grande.”

Em apuração emocionante, a escola deslanchou no penúltimo quesito e desbancou a Tatuapé, que liderava desde as primeiras notas.