No próximo dia 29 (sábado), a partir das 19 horas, será lançado o livro  “Queimadas na Amazônia – uma aventura da selva” do jornalista Simão Zygband. A obra é editada pela editora Studioma e tem diagramação, arte final e ilustrações de Rubens Ferrari (Tupa) e Sérgio Papi.
O livro, segundo seu autor, foi escrito com a intenção de ser mais uma voz na preservação da floresta amazônica, tão ameaçada pela cobiça e pelos desmandos do atual governo.
De acordo com o jornalista, o livro, como o próprio nome diz, relata inicialmente uma aventura de dois jovens estudantes na selva amazônica peruana, protagonizada pelo autor e um amigo seu, quando eles tinham entre 17 e 18 anos, na segunda metade dos anos 70, após uma caminhada de sessenta e seis quilômetros na selva.
Mais de quarenta anos depois, o jornalista remonta esta aventura, mesclada com referências a filmes que abordaram ou se ambientaram na Amazônia e que carregam informações importantes para compreender melhor o que se passa na região. Também faz um apanhado dos problemas de destruição da floresta ocorrida em 2019.
“Os incêndios criminosos na floresta, o desmatamento e a destruição recordes só fortaleceram meu desejo de contar esta história. Minha intenção inicial era apenas descrever o que acontecia com a juventude de quarenta anos atrás, para que a de hoje conheça um pouco do que foram os anos 70, vivendo em plena ditadura militar, que já começava a cair. Muitos sonhavam com a redemocratização do país, embalados pelo movimento hippie, Tropicalismo e, sobretudo, tomados pela irreverência”, revela ele.
 “O desejo de contribuir ajudou a me levar ao jornalismo, ofício que me permite escrever sobre diversos temas, como a construção da rodovia Transamazônica – a primeira grande intervenção desastrosa na selva amazônica -, os recentes incêndios na floresta, a questão indígena (com contínuos ataques às aldeias) e os filmes que de algum modo intensificaram minha paixão pela floresta”, conta ele.
“Enquanto escrevia o livro, a Amazônia ardia em chamas sob o olhar conivente do governo brasileiro. Árvores centenárias foram derrubadas, o fogo dizimou milhares de animais, muito deles já em extinção, fruto de uma cruel insensibilidade, praticados por pessoas cujo olhar para o lucro imediato é cego, mas que causam prejuízo irreversível ao meio ambiente e à humanidade. Não consigo me calar diante de tamanho descalabro”.
“O que vem ocorrendo na Amazônia é muito doloroso para quem conheceu a floresta em sua plenitude. A caminhada na selva, sempre muito marcante para quem vive na metrópole, deixou marcas profundas na minha personalidade e as histórias pessoais que narro no livro se baseiam em lembranças, mais de quarenta anos depois. É muito difícil apelar para a memória quando se passa dos sessenta anos de idade. Mas, dificilmente alguém esquece o sabor de se caminhar pela floresta, mesmo que seja cumprindo um simples roteiro turístico orientado por guias, o que não foi o caso nessa experiência”.
Este livro é uma contribuição para todos aqueles que lutam pela preservação da floresta, dos rios e das reservas indígenas, ameaçadas pelos ataques de ruralistas, garimpeiros e madeireiros. Tudo isso requer empenho redobrado na defesa da região, efetuando as denúncias através de todos os meios possíveis e lutando como um ideal permanente contra a devastação de uma das principais florestas do planeta e pela manutenção dos territórios indígenas.
Embora o cenário seja desalentador, espero que minha voz possa ressoar junto às vozes dos indígenas, ambientalistas, líderes comunitários, e tantas outras, a fim de apoiar a vida na sua incessante luta contra os que pregam a violência e a morte.
Serviço
Lançamento do livro “Queimadas na Amazônia – uma aventura na selva”
Autor- Simão Zygband
Dia 29 de fevereiro
Horário: a partir das 19 horas
Local: Estação Pinheiros Café e Restaurante
Rua Capri 42 – Pinheiros
Preço: R$ 60,00
Editora: Studioma
Contato (11) 99726-8051 – Simão Zygband